Gestão e inovação nas ações de prevenção de perdas no segmento supermercadista. - Audaz

Blog » Conteúdos Gratuitos » Gestão e inovação nas ações de prevenção de perdas no segmento supermercadista.
← Voltar

Gestão e inovação nas ações de prevenção de perdas no segmento supermercadista.

31 de outubro de 2018

Gestão e inovação nas ações de prevenção de perdas no segmento supermercadista.

Como implementar uma gestão mais inteligente e que promova a cultura de prevenção de perdas dos recursos da empresa? Como se fortalecer em um mercado bastante competitivo em um ambiente de desafios?

A saída pode ser através de parcerias entre as empresas e entidades setoriais, que garantem sustentabilidade, compartilhamento experiências, tecnologia e conhecimento.

Seguindo essa visão, a Audaz tecnologia oficializou sua parceria com a AMIS – Associação Mineira de Supermercados. A entidade é uma das mais importantes do setor no Brasil. A colaboração AUDAZ-AMIS visa fortalecer ainda mais o mercado mineiro, com foco na prevenção de perdas.

De acordo com o Diretor Comercial e Marketing da Audaz, Carlos Bernardo Mascarenhas, “o setor supermercadista é fundamental para a economia, pelo posicionamento estratégico que ocupa como distribuidor de alimentos e bens de consumo. Primeiramente pelos empregos diretos e indiretos que gera em todas as regiões do país. Segundo, o setor é o ponto focal de toda cadeia Supply Chain, que antecede a venda direta ao consumidor”, conclui.

A Audaz, com a Solução ABSCARD, já está no Villefort, MartMinas, Sales Supermercados, Vilma Alimentos, Tambasa Atacadista, Forno de Minas, além de outros grandes players do segmento em todo o Brasil.

AMIS – Um divisor de águas no setor supermercadistas em Minas

Resiliência é a palavra que melhor define o conjunto de empresários, frente aos desafios vividos na história da AMIS. Muito além disso, a trajetória da entidade pode ser contada pelo viés do cenário político-econômico das décadas de 1970 até meados de 1990. Naquele período, os órgãos de fiscalização do governo exerciam severo peso sobre o setor, atribuindo aos empresários parte das mazelas da inflação.

A AMIS e seus associados enfrentaram com êxito essa fase das mudanças econômicas. E, justamente nesse ponto, fincaram o pilar da segurança e credibilidade. Indo muito além da premissa de reunir os empresários, a entidade apoia e defende a classe, promovendo a união, o relacionamento e o fortalecimento de atacadistas e varejistas. Hoje atua fortemente nas mais diversas frentes, que vão desde capacitação profissional dos trabalhadores e grandes eventos, a sustentabilidade ambiental e ações sociais.

A relevância do setor em Minas é tamanha que os associados AMIS já representam mais 90% do faturamento do setor no estado e gera mais de 170 MIL vagas de empregos diretos.

Vantagens para empresas associadas à AMIS

Toda parceria pressupõe esforços conjuntos que vão muito além do retorno financeiro. Mesmo porque, nenhum retorno financeiro poderia resistir às divergências nos objetivos e na visão de negócios. Afinal, além de regras claras e diálogos abertos, é imprescindível o respeito às alianças e aos compromissos. Da mesma forma, ética e confiança são os pilares fundamentais que dão suporte necessário ao crescimento sustentável das partes parceiras.

Em suma, de um lado a Audaz, que possui 28 anos de atuação no mercado de tecnologia. Seu DNA é o da tecnologia e inovação. Do outro lado, a AMIS, com 47 anos de fundação e representando cerca de 90% do mercado supermercadista no estado. A entidade tem o objetivo firme de promover a competitividade por meio da geração de oportunidades de negócios.

A atuação conjunta AUDAZ-AMIS permitirá aos Associados AMIS, implementarem melhorias na gestão de benefícios de VT. Assim, favorece as políticas internas de prevenção de perdas com expressiva economia de recursos e absoluta segurança jurídica.

RH Estratégico: Tecnologias como diferenciais competitivos e redução de custos

A mudança de comportamento do consumidor com o uso das novas tecnologias, tem como inevitável consequência a necessidade de melhoria da estruturação tecnológica das empresas e a busca por aperfeiçoamento constante em atendimento. Esse conjunto de transformações acabam por acirrar a concorrência do varejo. Dessa forma, saem na frente as empresas que adotam posicionamentos diferenciados em gestão de pessoas, preços e tecnologias.

Esses fatores, até mesmo pela apertada margem média de lucro real do segmento supermercadista, obriga os empresários a adotarem Soluções que permitam maior visibilidade dos processos de toda a cadeia, a desenvolverem, através do setor de Recursos Humanos, iniciativas voltadas a capacitação profissional, atração e retenção de talentos.

Certamente, pessoas capacitadas e bem treinadas, que percebam valor naquilo que fazem, são mais engajadas com os propósitos da empresa, sentem-se mais realizados e felizes, sendo capazes de oferecer melhores atendimentos aos clientes e a responderem positivamente às mudanças propostas.

Nesse cenário, o RH torna-se cada vez mais estratégico para competitividade e margens de lucros melhores. Uma gestão nesses moldes, com capacidade de aliar tecnologia, processos e pessoas, atraem mais clientes, reduzem perdas, têm maior segurança e governança.

Não fica difícil imaginar que esse conjunto de virtudes, resulta em lojas mais cheias, produtos sempre disponíveis e consumidores satisfeitos e fiéis e, claro, sustentabilidade do negócio.

Implemente a cultura de prevenção de perdas para além do PDV

À primeira vista, ações de prevenção de perdas objetiva os pequenos furtos e fraudes praticados por terceiros e internos, falhas operacionais no PDV, por validade, deterioração e danos nos produtos. Contudo, não são apenas esses os pontos de atenção. Na verdade, esses aspectos representam de 40% a 50% de todo o montante de prejuízos. Nesses aspectos, as perdas podem ser minimizadas como monitoramento e controle contínuo.

O restante, 50% a 60%, são as “perdas não identificadas”, que não se sabe o porquê está se perdendo. O consenso é que há falhas de planejamento, de operacional, de controle e gerenciamento. Há uma urgente necessidade de implementação da “cultura da prevenção de perdas e do desperdício” como premissas gerenciais.

Prevenção de perdas: Quando fica difícil vender mais, o segredo é perder menos

De acordo com a ABRAPPE – Associação Brasileira de Prevenção de Perdas, em divulgação dos resultados de uma pesquisa com as principais empresas de 11 diferentes setores do varejo ano referência 2017, apontou que, em média, 1,29% do faturamento líquido são perdidos. Assim, no faturamento do varejo restrito, as perdas representaram R$ 19,5 Bilhões. No segmento supermercadista esse índice aponta um cenário ainda mais preocupante: 1,94% (vide gráfico abaixo). Muitas empresas, mais perdem do que se ganham, a margem líquida obtida é menor do que as perdas.

 

Gráfico Abrappe - Índice de perdas totais no varejo brasileiro - 2017

 

Em um cenário econômico de retração, a lucratividade não pode ser encarada apenas pelo viés do aumento de vendas. Dessa forma, a melhoria de processos gerenciais e a prevenção de perdas têm peso significativo para a sustentabilidade das empresas.

Diante da dificuldade de aumento das margens, a prevenção de perdas é o caminho mais curto para a sustentabilidade. Em síntese, quando não se consegue vender mais, sairá na frente quem perder menos.

Como a parceria com a Audaz Tecnologia pode ajudar os Associados da AMIS com a prevenção de perdas?

Antes de mais nada, em margens tão apertadas, cada ponto de economia conta. Logo, todas as áreas das empresas devem cortar os desperdícios e terem mais eficiência para a sustentabilidade do negócio.

No setor de pessoal, um dos itens que compõe o custo da Folha é o de benefícios. O vale-transporte, por exemplo, pelo alto custo e complexidade de gestão, que toma tempo excessivo das equipes de RH/DP, com a tecnologia certa, pode ter maior controle e redução de custo.

A princípio, é preciso saber se as rotas utilizadas nos deslocamentos de funcionários são as mais baratas e mais rápidas. Depois, se o colaborador faz o uso responsável do vale-transporte, se os saldos remanescentes e defasagens são devidamente compensadas. Afinal, não pode haver prejuízos para as empresas, falta de créditos para custeio das passagens, tampouco descumprimento da lei do vale-transporte.

Dessa forma, para garantir economia, produtividade e segurança jurídica, considere usar softwares inteligentes para gestão de benefícios.

Simplifique a gestão de vale-transporte com o ABSCARD

Com a parceria da AMIS, a Audaz disponibiliza a tecnológica que torna gestão do vale-transporte mais inteligente e econômica. A Solução é extremamente aderente ao setor que possui particularidades importantes que não podem ser controladas de forma manual.

Com o ABSCARD, você automatiza e controla os processos, com economia superior a 40% nas compras de créditos de VT.

Para implementar a prevenção de perdas na gestão de vale-transporte da sua empresa, CLIQUE AQUI, e fale com os especialistas da AUDAZ Tecnologia.